Márcio Luís da Gama Cavalheiro

“NÓIS” ENVERGA MAIS NÃO QUEBRA.

   Seguimos na contramão da preservação e sustentabilidade, quando continuamos persistindo no desmatamento e na utilização de produtos que matam as nossas florestas. Por falta de pesquisas e interesse dos grupos extrativistas que somente retiram os recursos naturais, estamos comprometendo o futuro do nosso planeta.

   Felizmente existe uma forma eficiente de substituição de matéria prima que em seus processos produtivos não agride o meio ambiente. Plantas que são permanentes e produzem matéria prima de excelente qualidade, mas que necessitam de investimento em tecnologia, incentivos para a construção de viveiros para abastecer o mercado, tornarem-se conhecidas e aos poucos criar uma consciência sustentável e saudável ao eco sistema.

…na natureza nada se perde tudo se transforma (Lavoisier); quando ela trabalha naturalmente, mas quando queremos intervir com ações destrutivas, tiramos dela a capacidade de ciclicamente se recompor.

   Com grande sabedoria e simplicidade, Mahatma Gandhi disse:

“Cada dia a natureza produz o suficiente para nossa carência. Se cada um tomasse o que lhe fosse necessário, não haveria pobreza no mundo e ninguém morreria de fome.”

   Com 1001 utilidades, “O invisível Bambu” se apresenta como um restaurador de terras degradadas, protetor de nascentes, solução rápida para proteger as margens dos rios e o maior e mais rápido captador de carbono, alguns crescem mais de um metro por dia e fecham um desmatamento em tempo recorde.

   São tantas as suas aplicações que precisaríamos de muitas matérias para explanar sobre tão nobre gramínea, então desafio você caro leitor a conhecer mais deste “presente”, passado e futuro “Bambu”.

                                                #plantebambu


                                               Por Márcio Luís da Gama Cavalheiro.