Márcio Luís da Gama Cavalheiro

PENSO, LOGO EXISTO: DA BIODIVERSIDADE NÃO DESISTO.

                                           “Bio+diversidade”

                       Formado por todas as espécies de seres vivos.

   Fazemos parte desta diversidade de vida, “vivo logo existo”; sempre associamos a biodiversidade aos animais e plantas, mas ela é muito mais ampla, vai de um vírus à todos os genes, espécies, ecossistemas e tudo o que possui composição genética.

   O ecossistema é muito dinâmico, é o sistema organizacional onde se vive. Imagine-se em um passeio no campo olhando uma foto sua, você esta lá no centro e tudo o que você olha possui vida. Mesmo o que não se pode enxergar com nitidez, como os musgos na pedra, faz parte desta comunidade que se integra e relaciona entre si, formando uma teia de simbiose, parasitismo e cooperação. Estando tudo equilibrado existe alimento, a reprodução acontece e cada membro fornece abrigo e proteção, mantendo assim o equilíbrio. Mesmo quando os predadores atacam surge um novo recomeço, pois “nada se perde tudo se transforma” e o ciclo natural continua.

   Para nós é comum nos depararmos com crimes ambientais e não percebemos o quanto se perde, pois a extinção das comunidades em determinada localidade trará um desequilíbrio que não é recuperável em sua totalidade. O que nos diferencia dos outros seres é a capacidade de pensar, somos racionais, logo, devemos prevenir estas ações irreparáveis pois nos foi dada a capacidade de conduzir e promover a cadeia alimentar estrutural e ambiental, porém deveríamos fazer isso de forma ordenada e sem extermínio.

   Como cidadãos, fazendo parte da biodiversidade e vivendo na biosfera, que é o conjunto de comunidades nesta trama de vidas, devemos denunciar os abusos e ameaças antes que comecem; é melhor prevenir do que remediar.

                                                         Márcio Luís da Gama Cavalheiro.